quinta-feira, 1 de maio de 2008

O Momento




Hoje é o teu aniversário, hoje faz um ano.


Faz hoje um ano da tua morte. Faz hoje um ano que deixei de ser amada. Faz hoje um ano que tu foste. Faz hoje um ano que estou só.


Parei de chorar por ti. [não, não deixei de te amar]. Parei de sorrir. Parei de ser amada, de ter prazer contigo. Faz hoje um ano...


Faz hoje um ano que o teu corpo forte e robusto foi nada perante um golpe. Lembro-me daquela noite...penso nela todos os dias. Lembro-me do cinema a que fomos...do gelado que comemos enquanto regressavamos a casa [a nossa...à qual tu não regressaste!]. Lembro-me do olhar dele, das palavras duras [a medo], do passa pra cá a carteira, do teu abraço para me proteger, do teu calma calma, do empurrão que lhe deste quando se aproximou de mim, do meu choro choro, do teu calma calma...[és o meu herói, sabias?]


Lembro-me do teu olhar para mim.Não mais olhaste para ele. Ele foi. Tu ficaste nos meus braços, percorreste o meu corpo enquanto caias e eu não te segurava...[não consegui...] Tocaste-me uma última vez enquanto derramavas a cor da morte...enquanto me sujavas com o teu sangue, o teu, o meu! Caíste nos meus braços...caí eu também contigo...apertei-te contra o meu peito [amo-te amo-te amo-te], mas não te disse amo-te. Disse-te não vás...[perdoa-me...o amo-te significaria despedida...]. O teu corpo desapareceu. O teu corpo transformou-se...na cor da morte...gritei por ti amor...gritei por mim!

Tapei-te com um lençol branco...branco para esconder a cor da morte, mas ela é forte amor...ela venceu-me, ela cobriu-te de novo. Quis esconder-te...por momentos pensei em levar-te para a nossa casa, a nossa cama, nos nossos lençois...os lençois do prazer, da paixão...mas foram apenas momentos.

Faz hoje um ano que sinto saudade. Faz hoje um ano que deixei de chorar, que deixou de doer...[mas magoa sabes...]. Saudade do que fomos amor, saudade do que seríamos, saudade do que poderiamos ser...

Hoje não pude deixar de pensar. Não choro amor...Apenas AMO-TE...


Pega, aceita esta flor...


20 comentários:

Os_meus_rabiscos disse...

Como a vida coincide... Com a tua flor celebras a ausência... A minha flor amarela celebra a presença... Hoje ausência, amanhã presença... E vice versa... É assim a vida...

Vieira Calado disse...

AS flores são assim: servem para tudo.
O amor e a dor.

Cumprimentos

Å®t Øf £övë disse...

(Un)Hapiness,
Um texto muito profundo à semelhança aliás do que nos tens habituado. Mostra-nos de uma forma muito real como a vida é efemera, e muitas vezes demasiado cruel. Dá que pensar.
Bjo.

MR. HEAVY disse...

O que escreves-te é muito pessoal... apesar de ser um momento triste e cruel acho muito, mas mesmo muito bonita a forma como sentes as coisas.
beijo

Ignota disse...

("Longe do Mundo", do Corcunda de Notre Dame)

Ouço, enquanto leio este teu texto e a melodia quase sumida embala-me no sentimento que tão bem expressas nessas palavras.

Delicio-me, ainda que este deleite seja na perdição dos sentimentos tristes.

Bom dia isolado de semana!

O Profeta disse...

Dois...tres actos...tu...


Doce beijo

Jorge Cardoso disse...

fico sem palavras!
no sussurro dos olhos que deixam a chuva,cresce o nó na garganta que nos muda... Não é?

beijinho doce querida...

Astri* disse...

A vida prega-nos estas partidas e nem por isso paramos de viver. Acho que tudo acontece para termos a capacidade de olhar para tudo de uma outra forma diferente de ontem e diferente do que será amanhã.
Escreves muito bem.. ao menos chegaram-me as lagrimas aos olhos pela dor que ainda está aí dentro.

bjs grandes **

Ekaterina disse...

Acontece sempre algo para mudar a direcçao da felicidade ! BEIJO ENORME .

Rui Caetano disse...

A vida cresce entre dois horizontes, a felicidade e a dor. Um bom fim de semana.

Francis disse...

Que posso eu dizer, quando ao ler-te fico sem palavras?
Simplesmente mágico este texto.
Apesar do dramatismo que encerra, consegue-nos transportar como se também estivessemos a viver os momentos.

Há sempre a saudade, há sempre a vivência, há sempre o sentimento, e soubeste-o expressar de uma forma única.

Adorei.
Beijos

gota de água disse...

O texto está muito sentido e mostra a dor que é perder alguém de que se gosta muito. Amor e perda são muitas vezes aliados...
bjs.

_(without) fєєℓιиgѕ_ disse...

que texto profundo...

simplicidade disse...

o teu texto tocou-me imenso, imenso :/ mas chorar não será mais solução, a solução é guardar conosco aquilo que foi de melhor. e força é aquilo de que sempre precisamos *
um beijo!

Sara disse...

É sempre cruel ter destinos assim, que nos levam as pessoas de quem gostamos, que nos levam a nossa vida junto a elas, que nos arrancam da alma a alegria e substituem-na por tristeza, mas, são esses destinos que nos ensinam a ser mais fortes, a apreciar as mais pequenas coisas da vida. E aí, já viveremos de novo. Muito poderoso o texto e muito bem escrito. Beijinho

Martim disse...

Porque ha palavras que congelam os mais insensiveis...grande liçao a que me deste com este texto...há pessoas que nunca se esquecem e, mesmo sem o conhecer, nunca esquecerei pelas palvras que escreveste...beijinhos

Nogs disse...

Ena... forte.

espero que seja metafórico o texto, minha querida.

Triste, mas belo e verdadeiro.

Beijinhos doces

Å®t Øf £övë disse...

Just a kiss

Mário disse...

As lágrimas que desceram pelo meu rosto explicam-me a intensidade deste texto... Beijinhos

Mel disse...

poderoso. chorei e só o silêncio presenciou como fiquei a ler este texto.
revela uma grande força e coragem.
beijos ***

(ps: os teus textos são lindos... decidi adicionar-te no meu blog :D)