quinta-feira, 13 de março de 2008

A tua sombra em mim

Vejo-te todos os dias…sei a hora a que acordas, e tu sabes que sim. Olho-te de longe, mas sei que o sabes. Sei a hora a que acordas, sei quando sais do banho, sei quando, nua, pões creme no corpo. [e tu sabes que sim…]. Vejo o teu corpo, as formas que te tornam tão bela…não és uma mulher como as outras. Não tens ninguém. Vives para mim. Prolongas o momento em que tocas nesse corpo. Não tens marca de bikini, não tens corpo de modelo, mas és a mais bela de todas.
Tic-Tac
Está na hora de ires. Este momento dura uma eternidade na minha vida, sinto-te minha, sinto-te como se te tocasse com as tuas mãos. A luz que te ilumina [propositada?]
Tic-Tac
Mais uma manhã. Voltarei à tua hora e tu, tu estarás aqui [aí] à minha espera, terás mais um momento [nosso].
Tic-Tac
Voltei. Voltaste. Vamos jantar. A música que ouves, não a ouço, mas sei qual é. Demonstras-me pelo modo como andas, pelos gestos que fazes, pelo olhar que vejo sem ver [malditas cortinas]. Sinto-o. És alegre assim, e eu sou-o por ti. Vivemos a rotina de todos os dias, vivemo-la um para outro. Nem sempre te vejo amor, às vezes apenas te sinto, outras vezes apenas vejo a tua alma através da tua sombra. Estava sozinho até chegares [o que te levaria a mudar de casa?] Não interessa. Chegaste à minha vida e és minha.
Tic-Tac
Os dias passam. Tudo se mantém. Tu és minha e eu sou teu. Mas…sinto-te triste. [Sempre estivemos tão bem!...] Será que queres outra vida? Será que preferes ver-me? Tenho medo, amor, tenho medo que a nossa felicidade acabe…eu conheço-te tão bem. E tu sabes disso [apesar de o difarçares…]. Estou inquieto.
Tic-Tac
Não acordaste à mesma hora…
Tic-Tac
Que se passa amor? Não sei que fazer! Estou desesperado…és a minha mulher e nada sei de ti! Onde estás? Ai, que injustiça de vida…és minha e não sei de ti, és minha e não posso procurar ajuda da polícia, és minha e não estás.
Tic-Tac
Não durmo há uma semana. Olho a tua janela. Não se altera. Quererás que vá aí? Será esse o teu objectivo?
Tic-Tac
Polícia à tua porta. Ambulâncias. Levam-te amor. Que se passou, que não me apercebi? Pensei que te conhecia. Afina…afinal tu não te mostravas para mim, eu não era teu. Afinal, eu apenas te observei, não fomos um casal. Afinal, apenas tu despertaste interesse em mim. Afinal, a tua solidão não era por me pertenceres. Afinal, tu eras apenas infeliz. Afinal, estavas apenas sozinha.
Tic-Tac
Tic-Tac
Tic-Tac

O tempo não pára. Tu preencheste-o até então. Mas, e agora? A tua sombra não faz mais perto de mim.
Tic-Tac
[Espero que voltes?]

19 comentários:

bono_poetry disse...

quem te tira a mordaca faz delicias a quem te le...escreves de elegante a sofrido...de intenso a zen...es diabolicamente interessante de ler...escreve sempre!!!ate depois!

O Profeta disse...

O Sol abandonou o céu
A Lua ironiza no celeste
Soltas perversas vontades
Cruzam a tua vida agreste


Convido-te a partilhar a minha visão da forma em
como a vida às vezes é perversa para algumas mulheres…

Bom fim de semana

Doce beijo

MalucaResponsavel disse...

este txt e tocante.. tanta gente assim.

bruxinha disse...

Este texto deixa qualquer um sem muitas palavras para aqui deixar. É fantástico. Mesmo!*

Ana disse...

Não, não esperes.

Corre, procura-a.

Já pensaste se... Não estará à tua espera?

A sua sombra foi-se embora,
mas se lutares poderás voltar com ela.
Ela,
ela.
Ela mesma e não apenas a sua sombra.

Beijos doces:)

Ekaterina disse...

Um texto , qe gostei de ler :)

Ignota disse...

Há coisas que nunca voltam... E "o tempo não pára". Giro que falo disso no meu texto.

E agora? Também queria saber.

Å®t Øf £övë disse...

(Un)Hapiness,
Como eu já escrevi, e aqui neste texto tu tão bem retratas... isto é o ciclo do amor. Com um princípio, um meio, e um fim... aliás tudo na vida é assim... há um dia em que... STOP.
Bjo.

bono_poetry disse...

sem pressoes!!!escreve miuda!!!

(Un)Hapiness disse...

lol..se eu escrever com tanta rapidez, tenho medo de cair na escrita demasiado vulgar...ainda mais...:)

(Un)Hapiness disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
bono_poetry disse...

tonta...a simplicidade do que sentes somente!!!

(Un)Hapiness disse...

lol...mas não quero cair na tentação de escrever sobre o mesmo...:)

Ignota disse...

desafio-te no meu blog! :)

Å®t Øf £övë disse...

(Un)Hapiness,
Passo por cá hoje para te desejar uma Páscoa Feliz!!!
Bjs.

O Profeta disse...

Mulher da ilha é solidão
É espera do vapor da madrugada
É aroma de milho em mesa de pão
É pio de milhafre, alma assombrada

Mãe em ninho feito de frias pedras
Por duras mãos cheias de jeito
Não sei se de ti brota um morno leite
Ou escorre rubra lava do teu peito


Uma Santa Páscoa


Terno beijo

happiness...moreorless disse...

Muito envolvente. Acho que já te disse isto uma vez, mas nao faz mal repetir, adoro ler os teus textos e no fim fico sempre a desejar que tivesse continuação...

um beijinho

Sara disse...

Um texto muito bem escrito e bonito, apesar da tristeza que reflecte.
Beijinho

Sara disse...

Olá. Obrigado pelo comentário. Sim, achei que deveria colocar outra, para dar um outro ar ao meu blog. Talvez um ar mais alegre e esperançoso.
Uma boa noite e um óptimo fim-de-semana.
Ah, e desejo um boa Páscoa :)
Beijinho