sábado, 12 de abril de 2008

A cama é-me pequena


Mais uma noite sem dormir. Sonhos [pesadelos], barulhos que não existem, mas que me assolam a mente. Pensamentos no amanhã, no porquê e no mas. Não consigo evitar, é mais forte do que esta mente fraca. Procuro o descanso dos homens...o sono. Sim, porque queria mesmo a paz, queria poder soltar-me, queria não pensar, queria sentir o amor, queria voar juntamente contigo [não, não sei quem és, mas quero-te]. Queria, mas não consigo. [não me autorizam, não sou digna do descanso].


Adormeço por momentos. A mente cansa-se de tanto sonhar, de tanto pensar. Acordo. Estou a ficar louca, não aguento este cárcere.

Está escuro. Acordo, mas não me vejo. Está escuro.

Mas, sinto algo estranho...pensei ser normal sentir-me um nada, sentir-me um ponto do meio de um quarto enorme, um quarto que eu não conheço, que não exploro, que não tenho com quem conhecer, no entanto, não consigo ver-me. Sinto o corpo pesado, não o consigo mexer, tento imaginar-me...tento ver a minha mão, no meio da escuridão, e não consigo...sinto-me do tamanho da cama. [Parece que caio]. Sensação louca esta, sensação de medo, de impotência.


Acendo a luz. Olho as minhas mãos, o meu corpo. Toco-me. [Tenho medo de ter perdido algo de mim]. Acalmo. Estou intacta. Apago a luz. O mesmo acontece. Não consigo expressar-me de forma melhor. Só sei que tenho medo, medo de me perder...sinto a alma fugir ao corpo, sinto a alma longe longe...não sei onde, mas longe. [se ao menos já tivesse vivido...]


Não quero ir sem viver. Não quero ir sem viver o amor. Não quero ir sem te conhecer. [Anda rápido!!a alma quer-me fugir...vem!]

24 comentários:

Francis disse...

Olá :)
Não posso deixar de esboçar este sorriso.
Sabes porquê? Porque o teu post além de estar muito bem escrito, tem ainda a particularidade de nos transportar e fazer viver todas as sensações, tal como as descreves.
Senti que também eu senti algo estranho com o teu post.
Parabêns e continua assim, porque gosto muito de te ler.
Obrigado também pelos teus comentários, eles são muito importantes para mim.
Bjs.

**Suspiro** disse...

Convido-te a ir cheirar a Felicidade ao meu blog.

Beijo quente.

**Suspiro**

**Suspiro** disse...

é engraçado estarmos as 2 on line sem nos conhecermos... xD Beijito**

**Suspiro** disse...

unh... tipo, n sei se queres... mas podíamos trocar e-mails... quer dizer, se não quiseres, tudo bem...
=D

**Suspiro** disse...

adicionado**

simplicidade disse...

hamnnn, bom post é o que tenho a dizer x33

_(without) fєєℓιиgѕ_ disse...

simplesmente fantástico!
a tua escrita é boa demais!
kiss

Å®t Øf £övë disse...

(Un)Hapiness,
Todos vivemos em alguma altura das nossas vidas noites assim. Principalmente quando nos sentimos demasiado ansiosos. Mas devemos evitar sentirmo-nos assim, até porque tudo o que nos tem acontecer na vida, acaba por surgir no seu devido tempo.
Bjs.

Carlos disse...

olá,

Também eu gosto de ler o que escreves.
tens sede de amar , de viver de partilhar.....de sentir,
quando menos esperares , tudo isso vai fazer parte, do teu ser, e aí vais explodir em sensações algo diferentes.


bJ

Margarete da Silva disse...

É sempre assim quando a alma nos quer fugir. Mais uma vez um estrondoso momento literário...

Um beijo em ti*

bono_poetry disse...

eu diria...
...que bom ser um ponto num quarto...o poder deixar o todo encontrar o seu lugar...sem interferencias octogonais...sem travessuras da mente aproximada...comtemplar paredes sem ruidos...encontrar melodias no silencio...amar o desconhecido para la do incognito...deixa-te ir...

Carla disse...

Há vida nas tuas palavras...ânsia de vida!!!e isso deixa-nos uma vontade irresistível de te ler
Gostei muito
bjs

MR. HEAVY disse...

mais uma vez parabéns pelo texto... consigo sentir o que escreves..

obrigado pelos bons momentos que me fazes passar ao ler o teu blog

Å®t Øf £övë disse...

(Un)Hapiness,
Passei por cá para te deixar um beijinho.

calminha disse...

escreves muito bem e expresaste com muta intensidade, estas de parabens quanto ao amor ele é tão grande que o podes viver com o mundo ao teu redor , os amigos , a vida, o amor de homem claro é rapartir algo unico mas imprtante o que te faz amar.te a ti mesma sem precisares de nemhuma moleta , da esse amor todo k tens , a todos k te rodeiam , e veras um dia aparece esse amor unico k keres sentir e viver.bjinho

Os_meus_rabiscos disse...

Gostei deste texto e deste blog. Vou voltar.

Margarete da Silva disse...

voltei...

=)


A loucura de gostar dos teus textos leva-me a isto.

"Não quero ir sem viver o amor!"

simplicidade disse...

talvez a ironia servi como teste, mas ha coisas a que preferimos nao ser testados :X a amizade talvez seja uma delas, nao por nos, mas pelos outros - ng se pretende avaliar a si mesma, pq se acha sempre bem - e como recebo força a dar tudo sem receber nada? e nao falo em nada material, pq disso nada depende. depende sim de tudo o que nao se ve, tudo o que apenas se sente.

sim eu gosto destas cores clarinhas :$ acho fofinho! :D

Vieira Calado disse...

Não desespere, amiga!
Às vezes quando menos se espera...
Beijinhos

bono_poetry disse...

ve la se escreves ...

Jorge Cardoso disse...

pensei ser normal sentir-me um nada, sentir-me um ponto do meio de um quarto enorme...

nem mais, apenas isto e um leve traço de sentimentos culmina com o "eu" de cada um de nós.
rouba-nos o sono? Talvez! Mas que importa se o "eu" dá-nos o ego da humildade...

Gostei muito! Bom fim de semana...

Sara disse...

Admito que esse teu belo texto despertou um certo sentimento em mim. Está tão bem escrito e tem tal intensidade! Nem sei descrever o que sinto e o que senti ao lê-lo. Deveras bonito, deveras intenso. Os meus parabéns por este texto.
Beijinho

O Profeta disse...

Total é a loucura do querer
Breve é chama da doce paixão
Total e insubmissa é a verdade
Que emana do teu terno coração

Sigo os passos da tua procura
Queda-se teu corpo nu em melodia incompleta
És instante da bondade dos Deuses
O canto de uma ribeira que o sol desperta


Um mágico domingo


Doce beijo

Anabela disse...

O tempo não se apressa por queremos, nem volta atrás. Acontece. simplesmente. No wseu devido momento (mesmo quando esse momento, por vezes nos parece ser absolutamente errado).
Este teu momento está repleto de amor também, sabias?
Pois quem escreve assim vive o amor em cada poro do seu corpo... Mesmo que ainda não tenha encontrado alguém para o repartir...

beijinho doce