domingo, 10 de abril de 2011

Farta

Pergunto-me as vezes que tentei ser quem não sou. As vezes que vesti um vestido curto, calcei sapatos de tacão alto e coloquei batom vermelho. As vezes que o fiz e aparentei ser algo que não sou, aparentei conseguir ser perfeita. E vendi-me. Vendi-me de uma forma fácil e aparentemente verdadeira em mim.

Hoje sinto-me lixo. Não sei se estou a fugir de algo ou em direcção a algo. Mas a verdade é que tenho sido tudo menos eu. Estou completamente só. Tornei-me eu na mentira, talvez porque haja segredos que devem ficar secretos.

Mas eu sei. Eu conheço o meu ser e sei que o meu segredo és tu. O meu segredo é amar-te para lá da morte. É sonhar com o teu vulto e agarrar-me a ele como quem se agarra a uma bóia de salvação. Agarro-te, prendo-te a mim, mas em vão. O sonho acaba e o pesadelo começa todas as manhãs. Conheces-me amor...só tu vias a música que há em mim. Só tu vias palavras no olhar. Só tu me fazias agradecer por ainda viver.

Precisei tanto de ti. Precisei de estradas rectas, mas as curvas foram muitas e desconhecidas. Oh, mas apesar de todas as mentiras, eu só vejo amor em ti, em nós. Mas tu abandonaste-me. E aí fui tanta gente...adaptei-me a cada ser e procurei o amor desenfreadamente. Mas nunca fui eu. Nunca permiti que mais alguém me conhecesse. Tanto que não sei mais quem sou, não sei como voltar ao início. Não sei o que é um beijo...esqueci-me o que é um beijo apaixonado! [Digam-me por favor!]

Será pedir muito quando digo querer uma segunda oportunidade? Uma oportunidade para mim, para ser feliz. Preciso de uma distracção. Preciso chegar ao fim com um sorriso nos lábios e ser levada nas asas de um anjo para longe daqui, mas sempre com um sorriso, sorriso de quem viveu. De quem viveu feliz, de quem soube o que é o amor, de quem se lembra o que é um beijo apaixonado, de quem dá a mão e se arrepia.

Onde quer que vá, preciso de uma vida feliz. Preciso de paz. Preciso de amor e saber amar. Quero dormir por fim.

"The Sun is gone but i have a light" Kurt Cobain

5 comentários:

Mafalda disse...

Muito interessante, comovente, inspirador! Revi-me nas tuas palavras, revi-me não hoje, mas há cerca de dois anos utilizava as mesmas frases, apenas à procura de uma resposta. Procurei o amor, e quando mais o procurei ele não chegou. Quando desisti...reapareceu. O que é nosso, a nós voltará.

Teka disse...

Nem tenho palavras suficientes para dizer o quanto gostei. Revi-me em cada letra... em cada palavra...
E respondendo à tua pergunta... Não, não é pedir muito uma segunda oportunidade. Todos temos direito a ela, mas temos também o dever de lutar lutar por essa oportunidade, para mostrarmos que somos merecedores dela, bem como de a aproveitar todos os dias da nossa vida.

Anónimo disse...

Nao pedes o mundo,apenas o que tens direito...nao sou muito bom exemplo,mas desejo-te muita sorte e muito amor...dizem que e dificil encontrar as duas...amor e sorte!

aparece la no tempo cronometrico,beijo!

Sara S. disse...

Se as memórias trazem tanto de bom como de mau, só o tempo ajudará a aceitar e a minimizar a segunda parte. Resta viver cada momento, não à busca do que foi, mas do que poderá vir a ser, porque o futuro pode trazer novos acontecimentos, com outro sabor, diferente dos anteriores, um sabor que pode ser tão bom ou melhor que os do passado. Ao abandonar essas amarras do que foi, pode ser que uma nova pessoa tome lugar, porque nós moldamo-nos em torno das circunstâncias e nunca somos os mesmos em todos os momentos. Talvez as características centrais do "eu" ainda estejam aí, mesmo que encobertas. Beijinhos

Amor & Lobotomia disse...

Estou encantado com o seu blog. é lindo!