sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Queria que me lesses...

Queria que me soubesses ler. Queria que me entendesses pelo sonho que transporta cada letrinha que te dedico...mas falta-me coragem. Não sei se quero que conheças o infinito que é o meu ser.
Hoje pedi-te um beijo. Não o tive...
Ontem queria um abraço. Não mo deste...
Tenho medo do que quererei Amanhã...tenho medo de não te ter aqui, comigo...
Não sei onde estás.
Porcurei-te durante tanto tempo amor, tanto que não sei quanto. Porcurei-te sem saber que eras Tu quem procurava. Encontrei-te e não te reconheci...Perdoa-me a amnésia. Fui-te conhecendo, fui vendo que sim, eras tu quem eu procurava. Fui-te amando sem saber se o que sinto é AMOR...Fui chamando-lhe amor, é bonita a palavra...[Não achas amor que a palavra comporta em si significados lindos?]
Hoje escrevi-te uma carta de amor. Não é linda, não é poética, é apenas uma carta...uma carta feita em papel amachucado, escrita em momentos parados, escrita enquanto resolvia a minha vida. É feia demais para te dar...digo-te apenas o que nela continha:
"Procurei-te e encontrei-te. Senti o teu beijo de uma forma tão intensa como nunca havia sentido. Reconheci no modo como fazemos amor, uma parte do meu ser. E, por isso, ADORO-TE tanto...tenho medo do futuro, tenho medo que sejas demais para mim. Mas fazes-me rir e sorrir amor...Consigo ver no teu olhar expressões de amor, de segurança e ternura. Quero amar-te sem medo, mas não consigo. Quero que sejas meu como sou tua!"
Hoje ganhei coragem...sim, estava decidida a entregar-te o meu ser...Mas hoje não te vi, hoje foste um sonho, hoje perdi a coragem.
Hoje não me lês.

12 comentários:

Cláudia I, Vetter disse...

Mas abriu a porta d'outro sentido...

bonito.

;**

Sara S. disse...

Se esse sentimento não tiver a sua própria finitute e se se prolongar ao longo do tempo, sabendo que há hipóteses de ser correspondido, porque não fazer amanha o que não se conseguiu fazer hoje? Pelo menos foi desta forma que compreendi o intenso texto. Com coragem, com oportunidade, há que arriscar. Bjs

Sara S. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vieira Calado disse...

Veio de bem dentro da alma, este texto!

Desejo-lhe um bom fim de semana.

Bjs

Sininho disse...

:) Gostei imenso..um dos textos mais bonitos que li nos últimos tempo ...creio que me vi nele...beijinhos

bruxinha disse...

Gosto tanto, mas tanto das tuas palavras...
Beijinho*

bono_poetry disse...

...falas de amor imenso que te deixa sem dormir ...e que te conta um mundo de loucuras e proezas que juntos fariam?...re-inventa o caminho e desbrava o incessante mato de paixao e amor...se feliz!!!beijinho foi bom reler-te!!!

Cátia disse...

Hoje pode nao te ler, mas fica o sentimento.. um dia quem sabe vai ler-te, vai sentir-te bem perto. Ele, sim ele... um que te queira ler e ser feliz... Ama, vive, sorri.

Sê bem regressada.
Beijinhos

Aninha's disse...

Gosto muito do teu texto, compreendo cada palavra cada sentimento (:
beijinhos

Francis disse...

A vida tem destas coisas, dá-nos com uma mão e tira-nos com a outra.
Agarra bem o que tens, não percas a coragem, a vida vai dar-te novamente, quando chegar a altura recebe.
beijinhos

Carla disse...

porque o amor também gera medo. Mas para ser sincero e genuíno é preciso vencer esse medo
beijos e felicidades

Cátia Margarida disse...

Eu tive tanto medo que gelei, sabes? Quando o coração tem medo de ser feliz ele gela. Mas não podes deixar que ele gele, não podes. Porque se deixares, ele não voltará a ser como d'antes. Não podes, por favor. Ele será só teu, como tu serás só dele. Mas não fujas, o amor é bonito. é bobo e é ternura por isso não fujas, não precisas de dar passos em frente apenas precisas de não sair do sítio. Ele encontrar-te-a certamente.