domingo, 22 de julho de 2007

As árvores morrem de pé


Eles eram amantes. Pelo menos, assim pensava ela...
Eles eram amigos. Assim pensava ele...
Ela viveu em função dele...olhava-o com paixão e, pensava para si "Amo-o...". Ela não o dizia em voz alta, porque sabia que o sentimento não era recíproco...mas tentava...tentava que ele a visse como namorada...tentava que ele a apresentasse aos amigos...tentava que ele lhe fizesse surpresas...tentava que não fosse só sexo...ela tentava.
Ele viveu para si...achava-lhe piada e, pensava "gosto da miúda...". Ele sabia que ela queria mais, mas não pensava no assunto...ele tentava...tentava ter bons momentos...tentava que ela percebesse por si própria o tipo de relação que tinham...tentava manter o sexo e a amizade...ele tentava.
Ela era inocente, era romântica, apaixonada e sonhadora...
Ele era infantil, era egoísta, cobarde...um bom vivã...
Eles continuaram...amaram-se e magoaram-se...
Ele parou no tempo...
Ela sentou-se e disse "Até já..."

1 comentário:

SDN disse...

Gosto deste tipo de textos. Textos muito vagos... mas muito bonitos! É um belo blog! Tudo de bom.
bjs